• home
  • Blog
  • Resgate animal: Como ajudar um pet de rua com segurança

icone-calendario 6 de setembro de 2021

Resgate animal: Como ajudar um pet de rua com segurança

resgate-animal-como-ajudar-um-pet-de-rua-com-seguranca

Basta andar de carro ou a pé por pouco tempo para perceber a quantidade de animais que vivem nas ruas. Vítimas de abandono ou por já terem nascido lá, muitos desses bichinhos passam a vida toda à própria sorte e por isso necessitam de um resgate animal.

Existem ONGs e pessoas que se empenham em resgatar esses animais, mas é um trabalho demorado, que exige bastante esforço e dedicação. Por isso, se você deseja contribuir para a causa e ajudar um pet de rua, temos algumas dicas para fazer isso com a maior segurança. Veja quais são!

Ganhe a confiança do pet

O primeiro passo para fazer um resgate animal é ter paciência e se aproximar com cuidados. Muitos desses bichinhos sofrem maus tratos e por isso acabam se assustando com qualquer movimentação estranha.

Uma boa maneira de ganhar a confiança do pet é se aproximar devagar e oferecer alguma comida. Leve pedaços de carne, ou até mesmo ração para atraí-los, assim ele se aproxima por vontade própria.

Assim que ele se sentir mais confortável com você, deixando que o acaricie, então é hora de levá-lo ao veterinário. Caso o pet esteja muito arisco, talvez seja necessário buscar ajuda e, para animais feridos, busque um pano para envolvê-lo e carregá-lo até o médico.

Garanta os primeiros cuidados médicos

Como o pet veio da rua, provavelmente ele nunca teve acesso a cuidados médicos e pode ter sido exposto a doenças ou machucados. Por isso, logo após o resgate animal você deve levar o bichinho até o veterinário mais próximo para fazer os exames necessários.

A avaliação médica serve para identificar doenças, passar exames e receitar medicamentos. Além disso, você também receberá orientações sobre alimentação, castração, vermifugação e vacinação.

Se o veterinário autorizar, a clínica tem como levar o bichinho para tomar banho, receber uma tosa e tirar possíveis nós do pelo dele. Esse procedimento também é útil para identificar problemas de pele no pet.

Encontre um lar para ele

As pessoas que fazem esse processo de resgate animal não necessariamente irão adotar o pet, por isso é importante saber as suas condições e limites para encaminhar o bichinho ao melhor lugar possível.

Você pode optar por entrar em contato com uma ONG para facilitar o processo de adoção, ou falar com conhecidos e amigos para garantir um dono responsável para o bichinho. Nesse meio tempo, procure oferecer todos os cuidados necessários para a boa saúde do pet.

Mas caso deseje, também é possível você mesmo adotar o animal resgatado, apenas tenha certeza de que pode arcar com essa responsabilidade. Verifique com o veterinário todas as necessidades do pet e siga à risca as orientações dele.

Agora é só colocar nossas dicas em prática e ser mais uma mão amiga para o resgate animal. Até a próxima!


Posts Relacionados

vida-de-princesa-e-vida-de-principe


3 de fevereiro de 2014 Ver mais >
alimentacao-do-seu-pet


4 de fevereiro de 2014 Ver mais >
ilustrativa-newsletter

Cadastre-se e receba novidades no seu e-mail